McLaren: Tudo o que precisas saber antes do início da temporada

POSTED BY Ruben Manha Setembro 11, 2020 in Fórmula 1
Post thumbnail

Com o lançamento da iteração mais recente da série de F1 produzida pela Codemasters dia 10 de Julho, começamos a caminhar a passo cada vez mais rápido para o início de mais uma temporada na PTRL. Doze rondas que irão colocar à prova os nossos pilotos, naquela que será a quinta temporada da divisão de topo da PTRL.

Estreantes promissores, veteranos que mostram ainda estar aqui para “as curvas” (e retas) e pilotos que têm a oportunidade de aprender imenso e dar-nos algumas surpresas.
No entanto, antes da ação em pista dia 13 de Setembro, no circuito de Spa-Francorchamps, no GP da Bélgica, iremos olhar para os line-ups que cada equipa apresentou durante o preparar da nova época.

Francisco Torres

Francisco Torres iniciou a defesa do título conquistado na segunda temporada em grande forma com vitória dominante em Silverstone, e atingindo o segundo posto em Montreal e Xangai, sendo apenas batido por Rui Queirós e João Magalhães, respetivamente, confirmando o seu estatuto de candidato.

Á partida para o Grande Prémio do Azerbaijão Torres liderava com 61 pontos, contra os 52 de Magalhães e os 38 de Queirós. Depois de um mau arranque, Torres, que corria na altura pela Mercedes, acaba a sua corrida após choque com um dos muros do circuito de Baku, no que seria um ponto de viragem na sua temporada.

Na corrida seguinte nova decepção com o décimo segundo lugar na Hungria. Ao começar da segunda metade da época, Torres mostra o que sabe fazer com mais uma exibição dominante e vitória em Barcelona. Porém seria a última vez que veriamos o piloto no pódio, que mostrava cada vez mais sinais de desmotivação, falhando o GP do Japão, voltando aos pontos com quinto lugar na Austrália, e terminando a época com três abandonos no Barém, Alemanha e EUA.

Diogo Manim

Diogo Manim por outro lado vinha de uma promissora época de estreia, e apesar do azar lhe ter batido à porta na primeira corrida, mostrou ritmo competitivo. Infelizmente para ele apenas consegue atingir os lugares pontuáveis no Azerbaijão e Hungria, e mesmo assim não conseguiu encontrar melhor forma com o abandono logo na prova seguinte em Barcelona.

Três corridas depois encontra de novo os pontos, atingindo o oitavo lugar em Hockenheim e Barém, antes de fechar a temporada como começou, com um erro a atirá-lo para o décimo terceiro lugar.

O que esperar?

A equipa baseada em Woking teve uma temporada bastante bem-sucedida, com seis pódios (incluíndo a vitória em Azerbaijão) presenças regulares no Top 5 e apenas uma desistência no GP da Hungria, resultados que garantiram à equipa o quarto lugar nos construtores (empatando com a Mercedes) a 2 pontos da Renault e a 45 da campeã Ferrari.

No entanto a equipa procura algo extra que lhe permita lutar por ambos os títulos, e é exatamente isso que o novo alinhamento tem a potencialidade de oferecer.

Ambos os pilotos mostraram ter o talento para competir com os melhores, mas a chave para a temporada da McLaren será não só a gestão da performance desportiva, como a dos níveis anímicos da sua dupla. Se o potencial se confirmar, poderemos bem ter aqui a receita do título.

Podem acompanhar a ação em pista dia 13 de Setembro no canal da Twitch da RTP Arena com a transmissão da ronda inaugural, o Grande Prémio da Bélgica.

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *